Missão e Visão

 

 

A autonomia económica das mulheres, já restringida por tradição patriarcal, é ameaçada pelos novos fenómenos de mudança climática e surgimento de grandes investimentos, que perigam o sustento da maioria das mulheres baseado em agricultura familiar. Perante esta situação, foi decidido dedicar ainda mais esforços para influenciar as políticas públicas e formular propostas de alternativas feministas sobre o acesso a terra, sobre o uso sustentável dos recursos naturais e sobre os direitos económicos das mulheres.

 

Apesar de algumas melhorias na legislação e no acesso aos serviços, o direito das mulheres à saúde e à vida continua em risco, devido à violência baseada em género, à educação sexista e à falta de observância dos seus direitos sexuais e reprodutivos. O FM já tem vindo a desenvolver ações e experiência nestas temáticas, e continuará os esforços de longo prazo, concentrando-se mais em questões tidas como estratégicas e onde se considera o FM ter acumulado mais-valia como aglutinador dos atores das sociedade civil.

 

Em relação à violência de género e aos direitos sexuais e reprodutivos, o FM promoverá um ambiente cultural e social baseado nos valores da igualdade de género, de relações de respeito mútuo e sem violência. O FM quer contribuir para que sejam adaptadas e implementadas leis, políticas e práticas sociais que concorrem para a promoção e defesa dos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres e raparigas. Serão priorizados os esforços para transformar as práticas culturais nocivas às mulheres, a monitoria das políticas públicas, assim como o alcance da legislação sobre a interrupção voluntária da gravidez. Será preciso monitorar e influenciar de forma coordenada as politicas públicas e os acordos regionais e internacionais que defendem os direitos das mulheres.

 

O fortalecimento institucional contínuo é imprescindível para melhorar a eficiência e eficácia das atividades conjuntas do FM e assim o seu impacto rumo à mudança desejada. Serão continuadas as ações de capacitação e consciencialização dos membros, assim como as medidas para desenvolver a capacidade  do gabinete, afim de tornar o FM forte e capaz de promover e defender os direitos das mulheres, implementando os seus programas com profissionalismo, eficiência e qualidade, e com recursos suficientes.

Partilhar

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Sondagem

É feminista

Sim - 66.7%
Não - 33.3%

Conhece o fórum mulher?

Sim - 100%
Não - 0%
Talvez - 0%