Contacto: +(258) 21 414 189
Contacto

Coordenação para a Mulher no Desenvolvimento

  • Fórum Mulher participa da VI Conferencia Nacional sobre Mulher e Género


        Sob o lema “O papel da Mulher rural rumo a igualdade de género e desenvolvimento sustentável”, várias pessoas das instituições publicas, sociedade civil, parceiros e membros da rede do Fórum Mulher participam desde ontem, no Centro de Conferencias Joaquim Chissano, em Maputo, da VI Conferencia Nacional sobre Mulher […] Ler mais →
  • Deputados argentinos aprovam legalização do aborto:projecto vai para o Senado


    texto de: https://g1.globo.com/mundo/noticia/deputados-argentinos-aprovam-legalizacao-do-aborto-projeto-vai-para-o-senado.ghtml O projecto de lei permite o aborto livre até a 14ª semana de gestação. Actualmente, aborto é permitido apenas em caso de estupro ou risco para a vida da mulher. A Câmara de Deputados da Argentina aprovou na passada quinta-feira (14) um projeto de lei que prevê a legalização do […] Ler mais →
  • “25 Anos inspirando mulheres e raparigas para um mundo melhor”


    O Fórum Mulher coordenação para a mulher no desenvolvimento lançou na passada sexta-feira, 5 de Maio, a campanha das comemorações dos 25 anos do Fórum Mulher. A campanha foi lançada durante a Assembleia Geral dos Membros, um evento anual,  que decorreu no hote Cardoso, em Maputo. A Assembleia é um […] Ler mais →
  • FÓRUM MULHER PROMOVE ENCONTRO DE HARMONIZAÇÃO DAS CONTRIBUIÇÕES AO PROJECTO DE REVISÃO DA LEI DE SUCESSÕES E DA LEI DA FAMÍLIA


    Iniciou na manhã de ontem , 15 de Abril, em Bilene, província de Gaza, o encontro Nacional de Harmonização das Contribuições da Sociedade Civil sobre o Projecto de Revisão da lei de Sucessões e da lei da Família. O retiro que termina na tarde de hoje, 16 de Abril,  junta […] Ler mais →
  • Activistas sociais exigem justiça e liberdade de expressão


    O Fórum Mulher juntou-se a várias organizações defensoras dos Direitos Humanos, em Nova Iorque, durante a reunião de CSW, numa acção de solidariedade pela morte de Marielle Franco. O grupo exigia justiça, responsabilização dos culpados e o fim de intimidação às feministas e defensoras da democracia.

Campanhas

Junte-se ao Movimento!

E vamos garantir uma sociedade mais justa e solidária, com igualdade de género, que respeita plenamente os Direitos Humanos das Mulheres

Saber mais

Publicações Recentes

Histórias de Sucesso

  • “O Fórum Mulher me ensinou a ser uma líder, eu me sinto uma líder”. Este é o sentimento de Catarina Gaspar, natural de Nampula e activista a mais de 10 anos.

    Catarina beneficiou de acções formativas, palestras e conferências organizadas pelo Fórum Mulher. A mulher de 43 anos entrou no activismo através da sua mãe, membra da associação AMR de Nampula, organização que também é membro do Fórum Mulher. As acções formativas do Fórum Mulher geraram mudanças que até hoje Catrina se lembra. (mais…)

  • Sou uma mulher jovem, de uma família praticante do islamismo. Estudei na universidade de Oxford, fiz física nuclear. Tive um convite da minha universidade para dar aulas e ser pesquisadora do instituto de física nuclear. Quando me formei, voltei para casa com essa noticia. A minha família gostou de saber que me formei com destaque mas não me permitiram regressar a Oxford para continuar o meu sonho. Afinal, eu já estava prometida para casamento com um jovem de uma família de comerciantes, do Paquistão, que recebeu a minha foto a 2 anos atraz e acertou o casamento com a minha família.

  • Albertina Artur Luís é uma das beneficiárias das capacitações do Fórum Mulher no distrito de Mocuba, província da Zambézia. As formações pelas quais Albertina passou geraram grandes mudanças na sua vida e hoje considera-se uma mulher empoderada. “Estas formações ajudaram- me a ser emancipada, senti-me empoderada porque, para mim, empoderamento não é dar dinheiro.  O conhecimento é o principal poder que o ser humano devia possuir; melhorei a capacidade da minha gestão humana; percebi que estava sob uma grave situação de violência, então decidi separar-me para conseguir continuar a viver, ter saúde, vida e estudar e, graças a Deus consegui licenciar-me me Administração Pública e ter dois pedaços de terra”, explica. (mais…)

  • A minha historia de vida e atípica. Vivo com o meu marido e ele é muito violento comigo. Sofro violência física e psicológica.

Parceiros