Notícias

Convite ao Concurso do Jornalismo Investigativo sobre Violência Doméstica 2017

O fenómeno da violência doméstica em Moçambique tem vindo a ganhar contornos alarmantes, nos últimos anos. Os dados oficiais apresentados, em Abril do ano em curso, pela Ministra do Género, Mulher e Acção Social, Cidália Chaúque, revelam que no ano passado foram registados cerca de 25 mil casos de violência domésticas, metade dos quais contra mulheres (12.585 casos), nove mil contra crianças e os restantes casos contra homens.

 

Em 2009, Moçambique aprovou a Lei de Violência Doméstica contra Mulheres. Sete anos depois, os impactos desta lei na realidade social do país pouco se percebem. Muito se discutiu no ano passado - na imprensa nacional e pelas redes sociais - sobre casos emblemáticos de violência doméstica. E muitas vezes os relatos ficaram sensacionalistas e não trouxeram as outras facetas da violência, as reais causas, e não deram voz a todas as pessoas envolvidas. O jornalismo investigativo pode contribuir para um melhor entendimento e compreensão dos desafios políticos e sociais da violência e no final contribuir para a mudança. Neste intuito a MISA Moçambique, em parceria com o Fórum Mulher e a Fundação Friedrich Ebert (FES) chama para um Concurso do Jornalismo Investigativo sobre Violência Doméstica.
O objectivo é apoiar pequenos projectos de investigação jornalística (print, rádio ou vídeo) que exponham casos de violência doméstica em Moçambique e as suas respectivas causas.
Podem concorrer ao fundo todos os jornalistas moçambicanos, incluindo freelancer. Os trabalhos devem ser publicados na imprensa moçambicana. As propostas devem apresentar:
1. Um problema (a ser investigado) devidamente fundamentado e a respectiva hipótese
2. Proposta de metodologia (roteiro da investigação)
3. E a duração da investigação
Para concorrer, as propostas devem ter no máximo duas páginas e serem enviadas para o endereço Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. até o dia 15.08.2017 as 18:00h.
Todas as propostas devem ser apresentadas em língua portuguesa e incluir um orçamento detalhado não superior a 100 mil meticais. O juri irá decidir as propostas a serem financiadas na base da relevância da histórias propostas para a investigação.
As propostas vencedoras ser-lhe-ão pedidas “Carta do compromisso”, assinada pelo director ou editor do jornal, na qual a instituição se compromete a publicar o trabalho do/da jornalista. Serão igualmente promovidos nas páginas web da MISA, do Fórum Mulher e da FES e concorrem para um prêmio especial.

Partilhar

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Comentar


Código de segurança
Atualizar